Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/2925
Authors: Menezes, Bruna Lorraynne Dias
metadata.dc.contributor.advisor: Silva, Greize Alves da
Title: Áreas dialetais no Tocantins: estudo dialetológico e geolinguístico no campo das brincadeiras infantis
Keywords: Dialetologia Pluridimensional e Relacional; ALiTTETO; Variação Lexical; Brinquedos/Brincadeiras Infantis; Variação Linguística; Tocantins; Pluridimensional and Relational Dialectology; ALiTTETO; Lexical variation; Children´s Toys/Games; Linguistic variation
Issue Date: 10-Feb-2021
Citation: MENEZES, Bruna Lorraynne Dias. Áreas dialetais no Tocantins: estudo dialetológico e geolinguístico no campo das brincadeiras infantis.2021.189f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Letras, Porto Nacional, 2021.
metadata.dc.description.resumo: O atual Estado do Tocantins, com 32 anos de emancipação, comporta uma população proveniente de outros estados, em detrimento dos processos colonizatórios ocorridos ao longo dos séculos. Em um primeiro momento, o Estado tornou-se um espaço multivarietal em detrimento das explorações auríferas ocorridas entre os séculos XVII a XIX, quando ainda era conhecido como Norte de Goiás. Após esse momento, no século XX, a construção da BR-153 e o desmembramento das terras goianas para formação do Estado do Tocantins trouxeram pessoas vindas de vários lugares, transformando o espaço em um cenário de variações culturais, sociais e, consequentemente, linguísticas. Partindo desses pressupostos, é interesse deste trabalho fornecer uma macrovisão da variação dialetal do Estado a partir das análises das variantes do campo dos brinquedos/brincadeiras coletadas pelo Atlas Linguístico Topodinâmico e Topoestático do Estado do Tocantins (SILVA, 2018), em 12 localidades tocantinenses, com 96 informantes. Analisamos os dados sob o viés da Dialetologia Pluridimensional e Relacional (THUN, 1998), com o intuito de apresentar a variação conforme as dimensões: diatópica geral e diatópico-cinética, ou seja, as respostas fornecidas pelos informantes topoestáticos em contraste com os grupos topodinâmicos. Além disso, a presente dissertação contrastou as variantes coletadas em solo tocantinense com os trabalhos de Ribeiro (2012) sobre o falar baiano, e de Portilho (2013) sobre o falar amazônico, com a intenção de observar quais variantes os três espaços compartilham entre si. Assim, os resultados obtidos estão dispostos em quadros, cartas linguísticas e gráficos, como forma de apresentar as variantes do campo semântico em estudo e observar se há influência dos processos de migrações e transmigrações. Dentre as 13 questões analisadas observamos que, no âmbito geral, há preferência dos informantes em chamar os entretenimentos infantis pelas formas consideradas norma (escolarizada). Ao contrastarmos este trabalho com Ribeiro (2012) e Portilho (2013), evidenciamos que no falar tocantinense ocorrem variantes tanto nortistas quanto nordestinas, aproximando-se mais deste último. Em relação ao recorte por mobilidade do informante, o público autóctone e alóctone mantêm as mesmas escolhas ao designarem os brinquedos/brincadeiras, com pequenas diferenças. Sobre as abstenções, em duas questões as não respostas superam as variantes pique e cair no poço; já em quatro perguntas elas ocorreram em segundo lugar e em outras quatro tiveram baixa produtividade. Portanto, sob o ponto de vista dialetal, os dados indicam que há um falar tocantinense em construção, pois notamos preferências lexicais pelas formas também presentes no falar amazônico e no falar baiano, assim como também a utilização de variantes advindas de outras regiões brasileiras, variantes essas coletadas predominantemente no centro-sul do Tocantins.
Abstract: The population of 32-year-old state of Tocantins, Brazil, hails from different states to the detriment of settlement processes during centuries. The state actually became a multi variegated space due to gold rushes between the 17th and 19th centuries on the northern region of the state of Goiás. In the 20th century, due to the construction of highway BR-153 and the separation of territory from the state of Goiás, the space became the scene of different social cultures and, consequently, linguistic variations. Current dissertation provides a macro-view of the state´s dialectical variation through the analysis of variants collected for the toys/games field collected by the Topodynamic and Topostatic Linguistic Atlas of the state of Tocantins (SILVA, 2018), at twelve sites, with 96 informers. Data are analyzed from the aspect of Pluridimensional and Relational Dialectology (THUN, 1998) to provide variations according to the general diatopic and diatopic-kinetic dimensions, or rather, responses given by topostatic informers in contrast to topodynamic groups. Further, current dissertation contrasted variants collected on the field, featuring studies by Ribeiro (2012) on discourse from Bahia, and by Portilho (2013) on discourse from the Amazon region, to investigate which variants were shared by the three spaces. Results are given in tables, linguistic charts and graphs to represent variants of the semantic field under analysis and to detect co relationships with migration and transmigration processes. As a rule, the thirteen issues revealed a preference of informers calling children´s games by normal or school forms. When contrasting current analysis with that by Ribeiro (2012) and Portilho (2013), we perceive the usage of dialects from the Northern and Northeastern regions of Brazils, with a trend towards the latter. In the case of the informer´s mobility, the autochthone and allochthone populations maintain the same trends, with slight differences, when they mention toys/games. On abstentions, in two issues, the non-answers go beyond the variants pique and cair no poço, whilst in four issues they ranked second and they featured poor productivity in another four. Therefore, from the dialectical point of view, data indicate that the Tocantins speech is in process. In fact, there are lexical preferences for forms also evident in the Amazon and Bahia types of speech, coupled to the use of variants from other different Brazilian regions. Variants were predominantly retrieved in the center-south region of the state of Tocantins.
URI: http://hdl.handle.net/11612/2925
Appears in Collections:Mestrado em Letras

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Bruna Lorraynne Dias Menezes - Dissertação.pdf8.2 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.