Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/993
Authors: Zagallo, Ana Daisy Araújo
metadata.dc.contributor.advisor: Ertzogue, Marina Haizenreder
Title: No banzeiro do lago: a (in) sustentabilidade do turismo na representação dos barqueiros atingidos pela UHE Estreito em Babaçulândia-TO
Keywords: Hidrelétrica;Turismo;Sustentabilidade;Barqueiros;Representações sociais;Hydroeletric Power Plant;Tourism;Sustainability;Boatmen;Social Representations
Issue Date: 25-May-2018
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente - Ciamb
Citation: ZAGALLO, Ana Daisy Araújo. No banzeiro do lago: a (in) sustentabilidade do turismo na representação dos barqueiros atingidos pela UHE Estreito em Babaçulândia-TO.2018. 167f. Tese (Doutorado em Ciências do Ambiente) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente, Palmas, 2018.
metadata.dc.description.resumo: Na esteira dos estudos sobre os impactos socioambientais das hidrelétricas na região amazônica, esta pesquisa teve como objetivo demonstrar a (in) sustentabilidade turística do município de Babaçulândia-TO na perspectiva dos barqueiros atingidos pela Usina Hidrelétrica Estreito que, ao se instalar no rio Tocantins, extinguiu suas rotas de navegação e interrompeu o turismo sazonal dos quais sobreviviam. Com base nos pressupostos teórico-analíticos da Teoria das Representações Sociais de Serge Moscovici, as representações dos barqueiros foram tomadas, nesta pesquisa, como indicadores da sustentabilidade turística. De natureza qualitativa, o estudo adotou uma estratégia multimétodos, combinando técnicas da história oral, observação assistemática e entrevista semiestruturada. Sendo um conhecimento socialmente construído, as representações dos barqueiros não apenas expressam suas próprias impressões sobre as perdas materiais e simbólicas decorrentes do empreendimento hidrelétrico, como também projetam as mazelas e os anseios de uma comunidade que tenta superar os efeitos das transformações decorrentes da barragem do rio Tocantins em suas vidas. Nesse sentido, buscou-se demonstrar como a descaracterização do lugar e do modo de vida ribeirinho interromperam o ciclo de vida turístico da cidade, provocando seu declínio precoce e comprometendo sua sustentabilidade. Assim, considerando que a insustentabilidade turística constitui um passivo socioambiental da UHE Estreito, as representações sociais dos barqueiros tornaram-se elementos concretos, produtos de uma dimensão simbólica que refletiram uma realidade capaz de qualificar o desenvolvimento do turismo no contexto pós-hidrelétrica.
Abstract: In the bias of the studies on the socio-environmental impacts of hydroelectric dams in the Amazon region, this research aimed to demonstrate the touristic (un) sustainability of the municipality of Babaçulândia-TO from the boatmen's perspective affected by the Estreito Hydroelectric Power Plant that, when installed in the Tocantins River, extinguished their navigation routes and interrupted the seasonal tourism from which they made their living. Based on the theoretical-analytical assumptions of the theory of the social representations of Serge Moscovici, the representations of the boatmen were taken in this research as indicators of tourism sustainability. Of qualitative nature, the study adopted a multi-method strategy, combining techniques of oral history, unsystematic observation and semi-structured interview. Being a socially constructed knowledge, the boatmen's representations not only express their own impressions on the material and symbolic losses resulting from the hydroelectric enterprise, but also project the ills and the desires of a community that tries to overcome the effects of the transformations due to the dam of the river Tocantins in their lives. In this sense, it was tried to demonstrate how the decharacterization of the place and the riverside way of life interrupted the tourist cycle of the city, provoking its early decline and compromising its sustainability. Thus, considering that touristic unsustainability constitutes a social and environmental liability of the Estreito HPP, the boatmen's social representations became concrete elements, products of a symbolic dimension that reflected a reality capable of qualifying the development of tourism in the post-hydroelectric context.
URI: http://hdl.handle.net/11612/993
Appears in Collections:Doutorado em Ciências do Ambiente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Daisy Araújo Zagallo - Tese.pdf3.21 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.