Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/968
Authors: Luz, Karlla de Souza
metadata.dc.contributor.advisor: Oliveira, Neilton Araújo de
Title: Mortalidade de pacientes sépticos no pronto socorro do hospital geral de palmas e a implementação do protocolo assistencial de sepse
Keywords: Sepse;Mortalidade;Protocolo;Emergência;Sepsis;Mortality;Protocol;Emergency
Issue Date: 9-Mar-2018
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - PPGCS
Citation: LUZ, Karlla de Souza. Mortalidade de pacientes sépticos no pronto socorro do hospital geral de palmas e a implementação do protocolo assistencial de sepse.2018.63f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Palmas, 2018.
metadata.dc.description.resumo: A sepse representa um grave problema de saúde pública e uma das doenças mais desafiadoras da medicina devido às altas taxas de morbidade, mortalidade e peso orçamentário do paciente com sepse para a saúde pública mundial. Objetivo: Analisar a mortalidade de pacientes sépticos admitidos no pronto socorro do Hospital Geral de Palmas e a implementação do protocolo assistencial de sepse. Método: Estudo descritivo com inclusão de todos os pacientes diagnosticados com sepse na admissão do pronto socorro no período de setembro de 2015 a setembro de 2016. Resultado: Houve 299 pacientes sépticos com idade média de 61 anos. O tempo médio de permanência no pronto socorro foi de 14 dias. Predominou o foco infeccioso pulmonar 44,1%. A razão de mortalidade foi maior na faixa etária menor de 20 anos (67,0%), que não receberam antibiótico em menos de 1 hora (67,6%), com menos de 24 horas de internação (70,0%), com coleta de lactato (65,4%) e sepse adquirida (62,8%). Conclusão: Foi evidenciado a não adesão a algumas medidas dos pacotes e elevada mortalidade. O desafio a ser enfrentado é o treinamento sistemático das equipes da emergências e melhores condições dos serviços do SUS.
Abstract: Sepsis represents a serious public health problem and one of the most challenging diseases in medicine due to the high rates of morbidity, mortality and budgetary burden of patients with sepsis worldwide. Objective: To analyze the mortality of septic patients admitted to the emergency room assistance of the General Hospital of Palmas and the implementation of the assistance protocol of sepsis. Method: Descriptive study with inclusion of all patients diagnosed with sepsis on admission to the emergency room from September 2015 to September 2016. Outcome: There were 299 septic patients with a mean age of 61 years. The average length of stay at the emergency room was 14 days. Pulmonary infectious disease predominated 44.1%. The mortality rate was higher in the age group under 20 years (67.0%), who did not receive antibiotics in less than 1 hour (67.6%), with less than 24 hours of hospitalization (70.0%), with collection of lactate (65.4%) and acquired sepsis (62.8%). Conclusion: It was evidenced the non adherence to some measures of the packages and high mortality. The challenge to be faced is the systematic training of emergency teams and better conditions of SUS services.
URI: http://hdl.handle.net/11612/968
Appears in Collections:Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Karlla de Souza Luz - Dissertação.pdf1.88 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.