Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/962
Authors: Batista, Kamilla Otoni Marques
metadata.dc.contributor.advisor: Souza, Danival José de
Title: Potencial de colonização endofítica de eucalyptus urophylla por fungos antagônicos às formigas-cortadeiras
Keywords: Controle microbiano;Endófitos;Escovopsis sp.;Metarhizium anisopliae;Trichoderma strigosellum;Microbial control;Endophytes
Issue Date: 19-Dec-2017
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal - PPGPV
Citation: BATISTA, Kamilla Otoni Marques. Potencial de colonização endofítica de eucalyptus urophylla por fungos antagônicos às formigas-cortadeiras.2017.55f.Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal, Gurupi, 2017.
metadata.dc.description.resumo: Diversos estudos evidenciam dezenas de espécies de fungos de diferentes gêneros nas colônias de formigas-cortadeiras. No entanto, a procedência desses microrganismos ainda é incerta. Alguns desses podem ser endofíticos oriundos do material vegetal transportado para o ninho. Assim sendo, determinados fungos endofíticos possuem a capacidade de contaminar a colônia das cortadeiras ou influenciar no seu microbioma simbiótico. Com isso, os endófitos fúngicos têm potencial no controle de formigas-cortadeiras como parceiros mutualistas das plantas. Esse sistema simbiótico pode se tornar uma estratégia no manejo dessa importante praga dentro do ecossistema florestal. O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial de colonização endofítica de mudas de Eucalyptus urophylla pelos fungos Escovopsis sp., Metarhizium anisopliae e Trichoderma strigosellum, e analisar, por meio da avaliação de características biométricas, a influência da inoculação desses microrganismos sobre o desenvolvimento das plantas. O delineamento adotado foi o inteiramente casualizado, usandose o esquema fatorial 4 x 3, com 15 repetições, sendo cada parcela constituída por uma muda. Os fatores foram: três espécies de fungos (Escovopsis sp., M. anisopliae, T. strigosellum) mais um controle e três métodos de inoculação (inoculação via foliar, inoculação via solo e inoculação via plântula). Para avaliação da colonização endofítica, utilizaram-se dez mudas, sendo cinco destinadas para avaliação das características biométricas. No método de inoculação via plântula, o fungo T. strigosellum foi isolado apenas nas raízes. Contudo, no método de inoculação via solo, além das raízes, esse fungo colonizou também o caule. As plantas de E. urophylla não foram colonizadas endofiticamente quando inoculadas pelo método de inoculação via foliar. As plantas inoculadas com o fungo T. strigosellum, pelo método de inoculação via plântula, apresentaram maiores valores nas características altura de plantas, número de folhas, massa seca da parte aérea e massa seca total quando comparado com os outros métodos de inoculação. Houve incremento também, por esse método, para a variável altura de plantas, quando comparadas às plantas controle e às inoculadas pelos fungos Escovopsis sp. e M. anisopliae. Dentre os fungos estudados, o isolado T. strigosellum colonizou endofiticamente o E. urophylla e influenciou positivamente no seu desenvolvimento, quando inoculado via plântula.
Abstract: Several studies evidenced dozens of fungus species of different genera in the colonies of leafcutting ants. However, the origin of these microorganisms is still uncertain. Some of these may be endophytes from plant material transported to the nest. Thus, certain endophytic fungi have the ability to contaminate the leaf-cutting ant colony or influence its symbiotic microbiome. Thus, fungal endophytes have the potential to control leaf-cutting ants as mutual plant partners. This symbiotic system could become a strategy in the management of this important forest pest. The objective of this work was to evaluate the potential of endophytic colonization of Eucalyptus urophylla plants by fungi Escovopsis sp., Metarhizium anisopliae e Trichoderma strigosellum, and to analyze, by means of the evaluation of biometric characteristics, the influence of the inoculation of these microorganisms on the plant development. Experimental design was completely randomized, using the factorial scheme 4 x 3, with 15 replicates, each plot consisting of one plant. The factors were: three fungi species (Escovopsis sp., M. anisopliae, T. strigosellum) plus one control and three methods of inoculation (foliar inoculation, inoculation via soil and seedling inoculation). For the evaluation of endophytic colonization, ten plants were used; five of them were destined to evaluate the biometric characteristics. In the seedling inoculation method, the T. strigosellum fungus was isolated only in the roots. However, in the soil inoculation method, besides the roots, this fungus also colonized the stem. E. urophylla plants were not colonized endophiatically when inoculated by foliar inoculation method. The plants inoculated with T. strigosellum by the seedling inoculation method had higher values in the characteristics of plant height, number of leaves, root dry mass and total dry mass when compared to the other inoculation methods. There was also an increase, by this method, for the plant height variable, when compared to the control plants and those inoculated by the fungi Escovopsis sp. and M. anisopliae. Among the fungi studied, the isolate T. strigosellum endofitically colonized E. urophylla and positively influenced its development when inoculated via seedling.
URI: http://hdl.handle.net/11612/962
Appears in Collections:Mestrado em Produção Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Kamilla Otoni Marques Batista - Dissertação.pdf1.15 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.