Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/952
Authors: Silva, Súsie Fernandes Santos
metadata.dc.contributor.advisor: Sieben, Airton
Title: A reterritorialização dos barqueiros de Babaçulândia (TO) atingidos pela Usina Hidrelétrica de Estreito (MA)
Keywords: Território;Atingidos por barragem;rio Tocantins;Barqueiros;Territory;Affected by dam;Tocantins river;Boatmen
Issue Date: 12-Sep-2017
Citation: SILVA, Súsie Fernandes Santos. A reterritorialização dos barqueiros de Babaçulândia (TO) atingidos pela Usina Hidrelétrica de Estreito (MA).2017. 196f. Dissertação (Mestrado em Estudos de Cultura e Território) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura e Território, Araguaína, 2017.
metadata.dc.description.resumo: A construção da Usina Hidrelétrica de Estreito (MA) causou impactos sociais, ambientais e econômicos aos moradores de 2 municípios maranhenses e 10 municípios tocantinenses. Dentre os impactos, a modificação no território, causada pelas migrações compulsórias que interferiram nas relações sociais, econômicas e políticas dos moradores do município de Babaçulândia (TO), alterando a maneira tradicional de produzir e viver. Partindo dessa informação, este estudo revela indicadores relacionados à observação e descrição do panorama da construção da Usina Hidrelétrica de Energia Estreito (UHEE), no período de 2007 a 2011, localizada no Rio Tocantins, na divisa entre os estados do Maranhão e Tocantins. Esta pesquisa apresenta os impactos desse empreendimento no território e na realização das atividades de autossustento dos barqueiros associados à Associação dos Barqueiros de Babaçulândia (TO), bem como a apresentação de relatos sobre como aconteceu a desterritorialização, o processo de negociação das indenizações e a reterritorialização do grupo pesquisado, composto por 15 homens. Metodologicamente, o estudo foi desenvolvido com base na pesquisa qualitativa. Aplicou-se o roteiro de entrevistas com questões abertas e fechadas sobre: identificação do participante da pesquisa, memória do trabalho e do lugar impactado, produção e rendimento, impactos do empreendimento que englobaram desde o processo de desapropriação até a definição de um novo local de moradia e sobre as medidas compensatórias coletivas. O roteiro de entrevista foi aplicado nos meses de abril e maio de 2017. Os instrumentos metodológicos em história oral, visitas de campo, fotografias e participação em assembleias da Associação dos Barqueiros de Babaçulândia (TO) foram utilizados para a composição dos dados. A categoria atingidos por barragens e barqueiros e a suas relações com o território e a paisagem sustentaram a pesquisa nos termos teóricos. Durante a pesquisa compreendeu-se que na desestabilização do território dos barqueiros, ocorreram as indenizações, com valores recebidos individualmente; e como associação – através das medidas compensatórias - com a construção de um galpão sede com alguns equipamentos e mobília para a associação e um barco catamarã, também equipado com utensílios de cozinha e lazer. Constatou-se algumas dificuldades para os reassentados na zona rural, como falta de água potável para consumo humano e animal. Outras dificuldades dizem respeito à falta de trabalho devido não existirem mais as praias na margem maranhense nem moradores ribeirinhos para serem transportados, situação que impossibilita a continuidade do trabalho de barqueiro e a falta de outros tipos de trabalho nos quais os barqueiros possam ser inseridos. Diante do exposto, observa-se também, que apesar do recebimento das medidas compensatórias para a associação, os barqueiros não estão realizando trabalhos capazes de suprir suas necessidades de produção de rendas em prol de seus sustentos familiares. Para tanto, sugere-se a realização de eventos no barco catamarã ancorado na orla, como por exemplo, a venda de comidas e bebidas durante determinados dias da semana à noite. E para utilização do galpão, sugere-se a realização de momentos em que os associados possam comercializar produtos e serviços produzidos por seus grupos familiares.
Abstract: The construction of the Estreito Hydroelectric Power Plant (MA) caused social, environmental and economic impacts to the residents of 2 municipalities of Maranhão and 10 municipalities of Tocantins. Among the impacts, the alteration in the territory, caused by the compulsory migrations that interfered in the social, economic and political relations of the inhabitants of the city of Babaçulândia (TO), altering the traditional way of producing and living. Based on this information, this study reveals indicators related to the observation and description of the panorama of the construction of the Estreito Energy Hydroelectric Plant (UHEE), from 2007 to 2011, located in the Tocantins River, on the border between the states of Maranhão and Tocantins. This research presents the impacts of this enterprise in the territory and in the accomplishment of the self-support activities of the boatmen associated to the Association of Boatmen of Babaçulândia (TO), as well as the presentation of reports on how the deterritorialization happened, the process of negotiation of the indemnifications and the reterritorialization of the studied group, composed of 15 men. Methodologically, the study was developed based on qualitative research. The interview script have open and closed questions about the identification of the research participant, the memory of the work and the place impacted, production and income, the impacts of the enterprise from the expropriation process to the definition of a new location were applied. housing and collective compensatory measures. The interview script was applied in April and May 2017. The methodological tools in oral history, field visits, photographs and participation in assemblies of the Association of Boatmen of Babaçulândia (TO) were used to compose the data. The category reached by dams and boatmen and their relations with the territory and the landscape sustained the research in the theoretical terms. During the survey it was understood that in the destabilization of the boatmen's territory, the indemnities occurred, with values received individually; and as an association - through compensatory measures - with the construction of a headquarters shed with some equipment and furniture for the association and a catamaran boat, also equipped with cooking and leisure utensils. There were some difficulties for those resettled in rural areas, such as lack of drinking water for human and animal consumption. Other difficulties are related to the lack of work due to the fact that there are no beaches on the Maranhão margin or river dwellers to be transported, a situation that makes it impossible to continue working as a boatman and the lack of other types of work in which boatmen can be inserted. In view of the above, it is also observed that, despite the receipt of the compensatory measures for the association, the boatmen are not carrying out works capable of supplying their needs for the production of incomes in favor of their family support. To do so, it is suggested to hold events on the catamaran anchored in the waterfront, such as the sale of food and beverages during certain days of the week at night. And for the use of the shed, it is suggested to realize moments in which the members can commercialize products and services produced by their family groups.
URI: http://hdl.handle.net/11612/952
Appears in Collections:Mestrado em Estudos de Cultura e Território

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Súsie Fernandes Santos Silva - Dissertação.pdf4.64 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.