Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/880
Author: Fernandes, Hallefy Elias
Advisor: Erasmo, Eduardo Andrea Lemus
Title: Plasticidade de Acacia mangium willd. submetida à deficiência hídrica e à reidratação
Keywords: Cerrado;Tocantins;Tolerância;Antioxidante;Exótica;Thick;Tolerance;Antioxidant;Exotic
Issue Date: 12-Jan-2018
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais - PPGCFA
Citation: FERNANDES, Hallefy Elias. Plasticidade de Acacia mangium willd. submetida à deficiência hídrica e à reidratação.2018.53f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais, Gurupi, 2018.
Resumo: O Tocantins que antes adotava a silvicultura como uma alternativa, atualmente já se encontra em crescente avanço sendo considerado como uma das maiores fontes de renda do estado. Diante disso alguns fatores como as alterações das condições edafoclimáticas podem prejudicar o crescimento e o desenvolvimento de alguns vegetais. O crescimento das plantas está associado a vários fatores fisiológicos e bioquímicos, que são controlados e influenciados pela particularidade genética de cada espécie e pelas condições ambientais. Visando investigar os mecanismos adaptativos da espécie de Acacia mangium Willd. principalmente aqueles relacionados à baixa disponibilidade hídrica, o presente trabalho tem como objetivo avaliar as respostas fisiológicas, bioquímicas e a tolerância da espécie Acacia mangium Willd. expostas à deficiência hídrica e a reidratação. Dois experimentos foram instalados. Os experimentos foram conduzidos em ambiente protegido na Estação Experimental da Universidade Federal do Tocantins, Campus de Gurupi-TO. Utilizaram-se mudas com 180 dias de idade, as quais foram transferidas para vasos de polietileno com capacidade de 5,5 litros. O delineamento estatístico utilizado nos dois experimentos foi inteiramente casualizado (DIC), representado por quatro tratamentos hídricos (100; 60; 40 e 30% da capacidade de campo) com 12 repetições. O primeiro experimento as plantas foram mantidas sob déficit hídrico durante os 25 dias de experimento. O segundo experimento as plantas foram reidratadas após um curto período de estresse hídrico de 6 dias, elevando todos os níveis de agua para 100% da capacidade de campo, sendo avaliadas durante os 25 dias de experimento. Durante o período experimental, foram realizadas avaliações em relação às trocas gasosas, potencial hídrico foliar, teor relativo de água, atividade de enzimas antioxidantes, prolina, e massas secas das folhas, caule, raiz e total. O estresse hídrico em condições de 40 e 30% da capacidade de campo por vinte e cinco dias influenciou a regulação das relações hídricas das mudas de Acacia mangium Willd., reduzindo o potencial hídrico foliar, condutância estomática, transpiração, eficiência da carboxilação (A/CI) e eficiência do uso da água (EUA) para garantir o funcionamento dos processos bioquímicos e metabólicos. A exposição das mudas nas condições de 60% da capacidade de campo não afetou negativamente a assimilação líquida (A), visto que não houve grande variação comparada à testemunha com 100% da capacidade de campo. A Acacia mangium Willd. é moderadamente tolerante a baixos níveis de água no solo. Na produção de matéria seca em mudas de Acacia mangium Willd. a variável mais sensível à deficiência hídrica foi à massa seca das folhas e do caule. O tratamento com maior déficit hídrico com 30% da capacidade de campo apresentou o acúmulo maior do teor de prolina. É uma especie que em condições de seis dias sob estresse hídrico, ainda é capaz de recuperar o desempenho fisiológico, caracterizando a sua plasticidade fisiológica e bioquímica na fase de muda. Para a espécie de Acacia mangium Willd., a catalase foi a principal enzima em combater o estresse oxidativo quando submetida a déficit hídrico.
Abstract: Tocantins, which once adopted forestry as an alternative, is already in the process of being announced as one of the state's largest sources of income. Faced with this, factors such as the conditions of edaphoclimatic conditions may hinder the growth and development of some plants. Plant growth is associated with several physiological and biochemical factors, which are controlled and influenced by genetic specificity of each species and environmental issues. Aiming to investigate the adaptive mechanisms of the Acacia mangium Willd species. The main sources related to availability, as well as the evaluation of the physiological, biochemical and tolerance of the species Acacia mangium Willd. exposed to water deficiency and rehydration. Two experiments were installed. The experiments were conducted in a protected environment at the Experimental Station of the Federal University of Tocantins, Campus of Gurupi-TO. Seedlings with 180 days of age were used, as were transferred to 5.5 liter polyethylene vessels. The statistical design used in the two experiments was completely randomized (DIC), represented by four water treatments (100, 60, 40 and 30% of field capacity) with 12 replications. The first experiment as plants were kept under water deficit during the 25 days of experiment. The second experiment as plants were rehydrated after a short period of water stress of 6 days, raising all water levels to 100% of the field capacity, being evaluated during the 25 days of experiment. During the experimental period, a specialized journal on gas exchanges, potential water leaflet, water content, activity of antioxidant enzymes, proline and dry leaf, stem, root and total masses was carried out. Water stress at 40 and 30% field capacity for 25 days influenced the water relations of Acacia mangium Willd., Reducing leaf water potential, stomatal conductance, transpiration, carboxylation efficiency (A / CI) and energy efficiency (US) to ensure the functioning of biochemical and metabolic processes. Exposure of the seedlings at 60% field capacity did not negatively affect the net assimilation (A), since there was not much variation compared to the control with 100% field capacity. The Acacia mangium Willd. is moderately tolerant to low levels of non-soil water. On the production of dry matter in seedlings of Acacia mangium Willd. a variable more sensitive to water deficit for the dry mass of the leaves and the stem. The treatment with higher water deficit with 30% of the field capacity presented the highest accumulation of the proline content. It is a species under conditions of six days under water stress, it is still able to recover the physiological performance, characterizing its physiological and biochemical plasticity in the molting phase. For a species of Acacia mangium Willd., A catalase for a major enzyme in combating oxidative stress when submitted to water deficit.
URI: http://hdl.handle.net/11612/880
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Hallefy Elias Fernandes - Dissertação.pdf1.38 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.