Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/876
Authors: Souza, Maiko Emiliano
metadata.dc.contributor.advisor: Barros, Hélio Bandeira
Title: Manganês suplementar na cultura do arroz irrigado
Keywords: Oriza sativa L;Nutrição mineral;Produtividade;Micronutriente;Mineral nutrition;Productivity;Micronutrient
Issue Date: 9-Oct-2017
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal - PPGPV
Citation: SOUZA, Maiko Emiliano. Manganês suplementar na cultura do arroz irrigado.2017.70f.Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal, Gurupi, 2017.
metadata.dc.description.resumo: O arroz cultivado é um dos cereais mais importantes para a alimentação humana. O manganês é um micronutriente que está envolvido em vários processos metabólicos da planta. A deficiência desse nutriente tem sido agravada por diversos fatores, dentre os quais se destacam: o uso excessivo de calcário, decorrente de recomendações inadequadas e a não observação do período de efeito residual da calagem dentre outros fatores. Objetivou-se com este trabalho avaliar fontes e doses de manganês na cultura do arroz irrigado. O trabalho foi conduzido no município de Formoso do Araguaia - TO, no ano agrícola de 2016/2017. O experimento foi alocado em faixas de 3 m de largura (17 linhas no espaçamento de 0,17 m, por 25 m de comprimento), sendo os tratamentos dispostos em esquema fatorial 5 x 5 + 1, cinco fontes diferentes de Mn e cinco doses. A suplementação com Mn foi fornecida via foliar nas doses de (0,5; 1,0; 1,5; 2,0 e 2,5 kg ha-1), aplicadas todos na indução do perfilhamento das plantas de arroz. Foram analisadas as seguintes características: número de panículas por m2, massa de 100 sementes (g), teor foliar de Mn (mg kg-1), porcentagem de grãos inteiros e produtividade de grãos (kg/ha). Os tratamentos em que houve aplicação da fonte de manganês, composto por Carbonato de Mn, obtiveram as melhores respostas para a maioria das características avaliadas. Todas as doses empregadas em cada uma das fontes de manganês influenciaram o teor foliar das plantas de arroz. Com relação aos teores adequados de Mn, todas as fontes apresentaram teores acima da faixa considerada adequada, mas não houve sinais de fitotoxidez. A fonte de Carbonato de Mn (B) na dose de 1,5 kg ha-1 proporcionou a maior produtividade com 7.375 kg ha-1. Maiores médias foram obtidas com a aplicação de 1,0 a 1,5 kg ha-1 de manganês, com exceção para a porcentagem de grãos inteiros onde as melhores médias foram obtidas na dose de 2,5 kg ha-1.
Abstract: The cultivated rice is one of the most important cereals for human consumption. Manganese is a micronutrient that is involved in various plant metabolic processes. The deficiency of this nutrient has been aggravated by several factors, such as the excessive use of limestone due to inadequate recommendations and failure to observe the residual liming period, among other factors. The objective of this work was to evaluate sources and doses of manganese in irrigated rice. The work was carried out in the municipality of Formoso do Araguaia - TO, in the agricultural year of 2016/2017. The experiment was allocated in 3 m wide strips (17 lines at a spacing of 0,17 m, length 25 m), the treatments were arranged in a 5 x 5 + 1 factorial scheme, five different sources of Mn and five doses. Mn supplementation was given via leaf at the doses of (0,5, 1,0, 1,5, 2,0 and 2,5 kg ha-1), all applied in induction of tillering of rice plants. The following characteristics were analyzed: number of panicles per m2, mass of 100 seeds (g), foliar Mn (mg kg-1), percentage of whole grains and grain yield (kg/ha). The treatments in which the manganese source was applied, composed of Carbonate Mn, obtained the best responses for most of the evaluated characteristics. All the doses used in each one of the manganese sources influenced the leaf content of the rice plants. Regarding the adequate Mn contents, all sources had levels above the range considered adequate, but there were no signs of phytotoxicity. The source of Mn (B) carbonate at the dose of 1.5 kg ha-1 provided the highest productivity with 7.375 kg ha-1. Larger averages were obtained with the application of 1,0 to 1,5 kg ha-1 of manganese, except for the percentage of whole grains where the best means were obtained at the dose of 2,5 kg ha-1.
URI: http://hdl.handle.net/11612/876
Appears in Collections:Mestrado em Produção Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maiko Emiliano Souza - Dissertação.pdf611.72 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.