Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/860
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAlexandrino, Bruna-
dc.contributor.authorNegreiros Filho, Osmar-
dc.date.accessioned2018-03-05T17:46:06Z-
dc.date.available2018-03-05T17:46:06Z-
dc.date.issued2017-08-21-
dc.identifier.citationNEGREIROS FILHO, Osmar. Leishmaniose visceral como problema de saúde pública no serviço de hemoterapia na região norte do estado do Tocantins. 2017. 65f. Dissertação (Mestrado em Sanidade Animal e Saúde Pública nos Trópicos) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Sanidade Animal e Saúde Pública nos Trópicos, Araguaína, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11612/860-
dc.description.abstractVisceral Leishmaniasis (VL) can be considered a social problem that generates financial cost to the health service and the affected person, having no racial or cultural borders and is considered by the World Health Organization a priority among tropical diseases. The VLis a condition of unfitness for blood donation, as recommended by the Ministry of Health, thus,it is important to analyze the disease by a marker in the screening laboratory blood donation, in view of the possible risk of be overlooked by asymptomatic conditions or by lack of laboratory examination, especially in areas with high incidence. The aimof this study was to determine the prevalence of Leishmania infantum infection fromvoluntaryblood donorsfrom Araguaína Regional Blood Center and to identify the risk factors to which blood donors are exposed. Serum of 400 blood donors were analyzed by the direct agglutination test (DAT) and blood samples from seropositive individuals were submitted to PCR. For risk factor research, a structured questionnaire was performed with each donor. In DAT, thirty donors (7.5%) showed seropositivity at 1:20, 6 (1.5%) titration to 1:80 titration and 2 (0.5%) titration to 1:160 titration. No donor has been PCR positive. Havinga positive dog for VL in the residence or neighborhood was reported by 18.5% of the donors, and a report of a sick man by calazarin the residence or neighborhood was observed in 5.6% of the donors. The results revealed that blood donors from endemic VL regions are exposed and have individual and socioenvironmental conditions that are considered risk factors for visceral leishmaniasis and represent a warning for the importance of investigating this infection in blood donors considering the possible risks of transmission of VL, emphasizing thar public health serviceneed toexpandthe blockade of infection and reduce the risk of transmission by other possible means, such as blood.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectDoadores de sanguept_BR
dc.subjectTransfusãopt_BR
dc.subjectFatores de riscopt_BR
dc.subjectCalazarpt_BR
dc.subjectDonors of bloodpt_BR
dc.subjectTransfusionpt_BR
dc.subjectRisk factorspt_BR
dc.titleLeishmaniose visceral como problema de saúde pública no serviço de hemoterapia na região norte do estado do Tocantinspt_BR
dc.contributor.advisor-coSantos, Helcileia Dias-
dc.description.resumoA Leishmaniose Visceral (LV) pode ser considerada um problema social que gera custo financeiro a saúde pública e a pessoa acometida, não tendo fronteiras raciais ou culturais e é considerada pela Organização Mundial de Saúde uma das prioridades dentre as doenças tropicais. A LV é uma condição de inaptidão para a doação de sangue, conforme preconiza o Ministério da Saúde, desta forma é importante analisar esta zoonose como um marcador na triagem laboratorial para doação de sangue, diante do possível risco de poder passar despercebida por condições assintomáticas ou por ausência de exame laboratorial, principalmente em áreas com elevada incidência. Essa pesquisa teve por objetivo determinar a prevalência da infecção por Leishmania infantum em população candidata a doação de sangue do Hemocentro Regional de Araguaína e identificar os possíveis fatores de risco aos quais os doadores de sangue estão expostos. Foram analisados soro de 400 doadores de sangue através do teste de aglutinação direta (TAD) e as amostras de sangue dos indivíduos soropositivos foram submetidas a PCR. Para pesquisa de fatores de risco, um questionário estruturado foi realizado com cada doador. No TAD, trinta doadores (7,5%) apresentaram soropositividade na titulação 1:20, 6 (1,5%) até a titulação 1:80 e 2 (0,5%) até a titulação 1:160. Nenhum doador apresentou positividade na PCR. Possuir cão positivo para LV na residência ou vizinhança foi relatado por 18,5% dos doadores e relato de humano doente por calazar na residência ou vizinhança foi observado em 5,6% dos doadores. Os resultados revelaram que doadores de sangue de regiões endêmicas para LV estão expostos e possuem condições individuais e socioambientais que são consideradas fatores de risco para leishmaniose visceral e representam um alerta para a importância de investigar a infecção em doadores de sangue, considerando os possíveis riscos de transmissão da LV, enfatizando a necessidade de realizar políticas de saúde que ampliem o bloqueio da infecção e reduzam o risco de transmissão por outros possíveis meios, como a transfusão sanguínea.pt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS AGRARIASpt_BR
Appears in Collections:Mestrado em Sanidade Animal e Saúde Pública nos Trópicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Osmar Negreiros Filho - Dissertação.pdf1 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.