Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/742
Authors: Costa Neto, Delcides Bernardes da
metadata.dc.contributor.advisor: Mariano, Sandra Maria Botelho
Title: Sífilis congênita: perfil epidemiológico em Palmas – TO
Keywords: Sífilis congênita;Promoção da saúde;Transmissão;Congenital syphilis;Health promotion;Transmission
Issue Date: 31-Mar-2017
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde - PPGCS
Citation: COSTA NETO, Delcides Bernardes da. Sífilis congênita: perfil epidemiológico em Palmas – TO. 2017.54f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Palmas, 2017.
metadata.dc.description.resumo: Este estudo teve por objetivo analisar a situação epidemiológica da sífilis congênita (SC) no município de Palmas – TO, a partir de variáveis como incidência, faixa etária da mãe, frequência de gestantes que realizaram o pré-natal, incidência de SC por ano e sexo, além da frequência de gestantes diagnosticadas com sífilis que foram tratadas, a frequência do tratamento dos parceiros e taxa de mortalidade por SC, no período de janeiro de 2011 a dezembro de 2015. Realizou-se um estudo do tipo série de casos, transversal, descritivo e retrospectivo, sendo analisados os casos de sífilis congênita coletados no Sistema de Informação de Agravo de Notificações (SINAN) em Palmas – TO. No período de estudo, foram registrados 176 casos de sífilis congênita. A taxa de incidência saltando de 3,84 para 6,97/1000 nascidos vivos no período. A faixa etária materna mais acometida foi de 20 a 34 anos. A incidência de SC por ano foi progressivamente maior em todo período analisado de 3,81 para 5,6/1000 nascidos vivos entre 2011 - 2014. Houve uma baixa frequência de tratamento adequado das gestantes com sífilis, da mesma forma que a frequência dos parceiros tratados. A taxa de mortalidade foi menor em Palmas – TO em 2015 do que no brasil no mesmo ano. A incidência de SC requer melhoria no atendimento pré-natal, desde o preenchimento das fichas de notificação até tratamento adequado das gestantes e parceiros com ações efetivamente implementadas.
Abstract: This study aimed to analyze the epidemiological situation on congenital syphilis (CS) in the municipality of Palmas - TO, based on variables such as incidence, maternal age, frequency of pregnant women who underwent prenatal care, incidence of CS per year and sex, in addition to the frequency of pregnant women diagnosed with syphilis who were treated, the frequency of treatment of the partners and the mortality rate by CS, from January 2011 to December 2015. This is a study of the Type of case, transverse, descriptive and retrospective, and the cases of CS collected in the Notification of Invalidity Information System (SINAN) in Palmas - TO were analyzed, where tests and calculations were carried out to obtain the proposed objectives. In the period analyzed, 176 cases of congenital syphilis were recorded. The incidence rate increased from 3.84 to 6.97 / 1000 live births in the period. The maternal age group most affected was 20 to 34 years. The incidence of SC per year was progressively higher throughout the analyzed period from 3.81 to 5.6 / 1000 live births between 2011-2014. There was a low frequency of adequate treatment of pregnant women with syphilis, in the same way as the frequency of partners Treated. The mortality rate was lower in Palmas - TO in 2015 than in Brazil in the same year. The incidence of CS requires improvement in prenatal care, from the completion of notification forms to appropriate treatment of pregnant women and partners with actions effectively implemented.
URI: http://hdl.handle.net/11612/742
Appears in Collections:Mestrado em Ciências da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Delcides Bernardes da Costa Neto - Dissertação.pdf1.57 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.