Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/674
Author: Angelo, Dalton Henrique
Advisor: Santos, André Ferreira dos
Title: Índices espaciais e de diversidade florística das zonas central e residencial central de Imperatriz - MA
Keywords: Área de copas;Arborização;Riqueza de espécies;Cup area;Afforestation;Species richness
Issue Date: 25-Sep-2017
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais - PPGCFA
Citation: ANGELO, Dalton Henrique. Índices espaciais e de diversidade florística das zonas central e residencial central de Imperatriz - MA.2017.74f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais, Gurupi, 2017.
Resumo: Considerando a importância das árvores por proporcionar o embelezamento das cidades, a amenização da temperatura local e entre outros fatores, se faz necessário conhecer as espécies que compõem a arborização urbana, o qual pode ser avaliada através do inventário. Após o levantamento florístico é possível medir a qualidade da arborização através de índices de riqueza e/ou índices espaciais das árvores em via pública. Baseado nisso, este estudo teve o objetivo de estudar a arborização urbana em duas regiões centrais da cidade Imperatriz – MA, avaliando riqueza, dominância, equidade e os índices espaciais. Para isso foi feito um inventário total dos indivíduos arbóreos, no qual contemplou-se altura das árvores ≥ 1,5 m, circunferência a altura do peito – CAP, raios e altura da copa, altura da 1ª bifurcação e também dados da malha urbana (largura e comprimento da calçada e vias, distância da árvore para o meio fio, dimensões da área de livre crescimento, altura de fiação e distância entre árvores). Todos os dados coletados foram inseridos em planilhas do programa Microsoft Office Excel onde foram calculados os índices de riqueza: Shannon-Weaver (H’), Odum, Menhinick (Dmn) e Jentsch (QM), índices de diversidade; Simpson (D) McIntosh (dominância); Pielou (J) e Bulla (E) (equidade) e os índices espaciais: ICA, IPO, Déficit, ICV, IDA, IAQC, PCV, IAVT, IAVPB, IAVPV, AVB, IPT, IPE, Sad, Npot e dfut. No estudo obteve-se um total de 228 quadras inventariadas, sendo 145 quadras pertencentes à Zona Central (ZC) e 83 a Zona Residencial Central (ZRC). Foram inventariados 2321 indivíduos distribuídos em 69 espécies e 27 famílias botânicas. Verificou-se também que na área total foram encontradas 24 espécies de origem nativas e 45 exóticas. Através da caracterização florística, observou-se que Licania tomentosa (Benth.) Fritsch e Azadirachta indica A. Juss são as espécies mais frequentes os quais representam 63,77% dos indivíduos. Os índices de riqueza demonstram baixa diversidade de espécies (H’, Dmn e QM), com exceção do índice de Odum. Os índices de dominância evidenciam a baixa diversidade, mostrando que existe alta dominância de poucas espécies. E os índices de equidade mostram haver baixa uniformidade do número de árvores para o número de espécies. No geral, a ZRC demonstrou ser menos diversa, com maior dominância e menor equidade. Quanto aos índices espaciais os resultados demonstram que a ocupação das copas em relação à área de calçadas está abaixo do recomendado, tanto para área total (19,81%) quanto para ZC (25,11%) e ZRC (16,93%), representando um déficit total de 7570 árvores, que representam percentualmente 76,5% de implantação de indivíduos para que houvesse ocupação completa.Quanto à relação do número de habitantes, a arborização de vias e praças de Imperatriz também se encontra inadequada, demonstrada pelo ICV (1,03 m²/habitante), IAVT e IAVPV (0,70 m²/habitante). Portanto, é possível perceber que a área de estudo em Imperatriz possui baixa diversidade, com poucos indivíduos em relação ao número de espécies, demonstra ainda haver desproporção entre a quantidade de árvores por espécie. Por outro lado, a área de estudo apresenta potencial para receber plantio de novas árvores desde que haja planejamento adequado por meio de um plano diretor de arborização urbana.
Abstract: Considering the importance of trees for providing the beautification of cities, the amelioration of the local temperature and other factors, it is necessary to know the species that make up the urban forestry, which can be assessed through the inventory. After the floristic survey it is possible to measure the quality of the afforestation through indices of wealth and / or spatial indexes of the trees on public roads. Based on this, this study aimed to study the urban forestation in two central regions of the city Imperatriz - MA, evaluating wealth, dominance, equity and spatial indices. To this was done a total inventory of individual trees, which is included tree height ≥ 1.5 m, diameter at breast height - CAP rays and height of the canopy height of 1st data fork and also the urban network (width and length of sidewalk and pathways, distance from the tree to the curb, dimensions of the free growing area, spinning height and distance between trees). All data were entered in Microsoft Office Excel spreadsheet program where wealth indices were calculated: Shannon-Weaver (H '), Odum, Menhinick (Dmn) and Jentsch (QM), diversity indices; Simpson (D) McIntosh (dominance); Evenness (J) and Bulla (E) (fairness) and spatial indexes: ICA, IPO deficit, ICV, IDA IAQC, PCV IAVT, IAVPB, IAVPV, AVB, IPT IPE Sad, and Npot dfut. In the study yielded a total of 228 scheduled blocks, 145 blocks and belonging to the central zone (ZC) and 83 Central Residential (ZRC). 2321 individuals were scheduled distributed in 69 species and 27 botanical families. It was also found that the total area found 24 species of native origin and 45 exotic. Through the floristic characterization, it was observed that Licania tomentosa (Benth.) Fritsch and Azadirachta indica A. Juss s will be the most common species which represents 63.77% of the subjects. The richness indices show low diversity of species (H +, Dmn and QM), except Odum index. The dominance indexes show low diversity, showing that there is a high dominance of few species. And the equity indices show a low uniformity of the number of trees for the number of species. Overall, the ZRC proved to be less diverse, with greater dominance and less equity. As for spatial indexes s results demonstrate that the occupation of the cups with respect to area walkways are below the recommended both pa ra total area (19.81%) and for ZC (25.11%) and ZRC (16.93 %), representing a total deficit of 7570 trees, representing 76.5% percentage deployment individuals so that there was full occupancy. Regarding the number of inhabitants, the arborization of Imperatriz roads and squares is also inadequate, as demonstrated by the ICV (1.03 m² / inhabitant), IAVT and IAVPV (0.70 m² / inhabitant). Therefore, it is possible to notice that the study area in Imperatriz has low diversity, with few individuals in relation to the number of species, it also shows a disproportion between the number of trees per species. On the other hand, the study area has the potential to be planted with new trees provided there is adequate planning through a master plan for urban afforestation.
URI: http://hdl.handle.net/11612/674
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dalton Henrique Angelo - Dissertação.pdf2.56 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.