Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/424
Author: Andrade, Carlos Augusto Oliveira de
Advisor: Fidelis, Rodrigo Ribeiro
Title: Sobressemeadura de espécies forrageiras em soja para viabilidade do plantio direto e integração lavoura-pecuária no Tocantins
Keywords: Glicine max;Cobertura vegetal;Sobressemeadura;Produção de grãos;Valor nutritivo;Vegetal covering;Overseeded;Grain production;Nutritional value
Issue Date: 30-Jul-2015
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
Program: Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal - PPGPV
Citation: ANDRADE, Carlos Augusto Oliveira de. Sobressemeadura de espécies forrageiras em soja para viabilidade do plantio direto e integração lavoura-pecuária no Tocantins.2015.63f.Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal, Gurupi, 2015.
Resumo: As regiões do Cerrado brasileiro são caracterizadas por temperaturas altas e ocorrência de chuvas em grande intensidade no verão, porém com inverno seco. Essas condições resultam em maiores limitações para a sustentabilidade do plantio direto, devido à baixa produção de palha no período de outono-primavera, aliada a rápida decomposição durante a estação das chuvas. Uma das formas para tentar solucionar estes problemas é pelo cultivo consorciado de culturas produtoras de grãos com espécies forrageiras, o qual tem apresentado resultados promissores, dando sustentabilidade ao plantio direto, podendo fornecer forragem para os animais no período de maior escassez nas regiões caracterizadas com inverno seco. Entretanto, esta tecnologia é recente havendo necessidade de estudos nas várias áreas abrangidas por esse sistema de produção. Nesse sentido, o objetivo do capítulo I foi avaliar a produção de palha e o desempenho agronômico de soja consorciada com diferentes espécies forrageiras sobressemeadas, em plantio direto. O delineamento utilizado foi em blocos completos casualizados com quatro repetições em esquema fatorial 5 x 2 + 2 , sendo cinco espécies forrageiras consorciadas com soja (Urochloa brizantha cv. Marandu; Urochloa ruziziensis; Panicum maximum cv. Mombaça; Panicum infestans cv. Massai e; Pennisetum americanum), em duas safras agrícolas (2013/2014 e 2014/2015), mais dois tratamentos testemunhas (Pennisetum americanum em sucessão ao cultivo da soja e pelo cultivo tradicional de soja, seguido de pousio no inverno). Foram avaliados os componentes de rendimento da soja e a produtividade de palha das forrageiras. O consórcio da soja com as espécies forrageiras Urochloa ruziziensis, U. brizantha cv. Marandu, Panicum maximum cv. Mombaça e P. infestans cv. Massai em sobressemeadura não diminui a produtividade de grãos da soja. O consórcio soja x mombaça aumenta a estatura das plantas e produtividade de grãos da soja quando comparada a soja solteira. O P. maximum cv. Mombaça é mais eficiente no acúmulo de matéria seca quando cultivado em sobressemeadura na soja no período de outono/primavera em relação às demais forrageiras. O capítulo II teve como objetivo avaliar a produção de forragem e a composição bromatológica de diferentes espécies forrageiras consorciadas com a soja e em cultivo solteiro. O delineamento utilizado foi em blocos completos casualizados com quatro repetições em esquema fatorial 5 x 2 + 1, sendo cinco espécies forrageiras (Urochloa brizantha cv. Marandu; Urochloa ruziziensis; Panicum maximum cv. Mombaça; Panicum infestans cv. Massai e Pennisetum americanum), em dois sistemas de cultivo (consorciado com a soja e solteiro), mais um tratamento padrão (Pennisetum americanum em sucessão ao cultivo da soja). Foram avaliados componentes de produtividade de forragem e a composição bromatológica das espécies forrageiras. As espécies Urochloa ruziziensis, U. brizantha, Panicum maximum e P. infestans apresentam maior capacidade produtiva de forragem, tanto cultivadas em consórcio com a soja quanto solteiras em relação ao Pennisetum americanum. O cultivo das forrageiras Urochloa ruziziensis, U. brizantha, Panicum maximum e Pennisetum americanum de forma solteira, proporciona maiores produtividades de forragens em relação ao cultivo consorciado com a soja. As forrageiras Urochloa ruziziensis e U. brizantha quando semeadas em cultivo consorciado, revela melhor valor nutritivo com o decorrer do período de outono-inverno.
Abstract: The regions Brazilian Cerrado are characterized by high temperatures and rainfall in great intensity in the summer, but with dry winter. These conditions result in major constraints for the sustainability of tillage due to low straw production in the autumn-spring period, combined with rapid decomposition during the rainy season. One way to try to solve these problems is for the intercropping of grain crops with forage species, which has shown promising results, giving sustainability to tillage and can provide fodder for livestock in most lean period in areas characterized with winter dry. However, this technology is new and there is need for studies in the various areas covered by the production system. As such, the objective of chapter I was to evaluate the straw production and the agronomic performance of soybean intercropped with different forage species oversowing, in direct planting. The experiment was in a complete randomized block, with four replications in a factorial arrangement 5 x 2 + 2, being five species forage intercropped with soybean (Urochloa brizantha cv. Marandu; Urochloa ruziziensis; Panicum maximum cv. Mombaça; Panicum infestans cv. Massai and; Pennisetum americanum), in two growing seasons (2013/2014 e 2014/2015), more two treatments witnesses (Pennisetum americanum in succession to soybean cultivation and the traditional soybean cultivation, followed by fallow in winter). Were assessed the soybean yield components and straw productivity of forage. The soybean intercropped with forage species Urochloa ruziziensis, U. brizantha cv. Marandu, Panicum maximum cv. Mombaça and P. infestans cv. Massai in oversowing does not reduce the soybean grain yield. The soybean x Mombasa intercropped increases plant height and soybean grain yield when compared to single soybeans. The Mombasa is more efficient in dry matter accumulation when grown in oversowing in soybeans in autumn/spring compared to other forages. The chapter II to aimed was to evaluate forage production and bromatologic composition of different forage species intercropping with soybean in oversowing system and single crop. The experiment was in a complete randomized block, with four replications in a factorial arrangement 5 x 2 + 1, being five species forage (Urochloa brizantha cv. Marandu; Urochloa ruziziensis; Panicum maximum cv. Mombaça; Panicum infestans cv. Massai e; Pennisetum americanum), in two crop systems (intercropped with soybean and single), more a standard treatment (Pennisetum americanum in succession to soybean cultivation). Were evaluated forage yield components and the chemical composition of the forage species. The species Urochloa ruziziensis, U. brizantha, Panicum maximum and P. infestans have higher production capacity de forage both grown intercropped with soybeans as compared to single Pennisetum americanum. The cultivation of the forages Urochloa ruziziensis, U. brizantha, Panicum maximum and Pennisetum americanum way single, provides higher productivity of forages compared to intercropping with soybean. The forages Urochloa ruziziensis and U. brizantha when sown in intercropping, reveals better nutritional value over the course of the autumn-winter period.
URI: http://hdl.handle.net/11612/424
Appears in Collections:Mestrado em Produção Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Carlos Augusto Oliveira de Andrade - Dissertação.pdf1.17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.