Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/392
Author: Sales, Nathana Izabela Silva
Advisor: Santos, Gil Rodrigues dos
Title: Patogenicidade e transmissão de fungos associados às sementes de teca e progresso temporal da ferrugem causada por Olivea Neotectonae
Keywords: Tectona grandis;Sanidade;Fitopatógenos;Epidemiologia;Sanity;Plant pathogens;Epidemiology
Issue Date: 5-Aug-2016
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais - PPGCFA
Citation: SALES, Nathana Izabela Silva. Patogenicidade e transmissão de fungos associados às sementes de teca e progresso temporal da ferrugem causada por Olivea Neotectonae. 2016.51f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais, Gurupi, 2016.
Resumo: A teca (Tectona grandis L.f.) é uma espécie arbórea bastante utilizada em áreas de reflorestamento, sendo a terceira espécie entre as folhosas tropicais mais plantadas do planeta. Durante todo o seu ciclo vegetativo, a teca pode ser afetada por um grande número de doenças, tendo nos fungos os principais agentes fitopatogênicos. Dentre as doenças que ocorrem na cultura, à ferrugem causada por Olivea neotectonae T.S. Ramakr. & K. Ramakr (=Chaconia tectonae T.S. & K. Ramark), destaca-se como a mais importante. A produção de mudas de teca é realizada principalmente por sementes, que é um importante veículo de transmissão de diversos patógenos. Devido à escassez de informações relacionadas à sanidade das sementes de teca utilizadas no Brasil para seu cultivo, objetivou-se com o capítulo I identificar e quantificar os fungos associados às sementes de teca, a patogenicidade desses microrganismos às mudas e a transmissibilidade semente-plântula. Para o teste de sanidade foram utilizadas sementes adquiridas nos estados do TO, GO e SP; os tratamentos utilizados foram sementes desinfestadas e não desinfestadas, e sementes com e sem mesocarpo. O ensaio foi conduzido utilizando o método do papel de filtro (Blotter test). Para o teste de patogenicidade em mudas, utilizaram-se os isolados de Fusarium sp., Botryodiplodia sp., Alternaria sp. e Plenodomus sp. De forma geral, foi possível identificar os seguintes gêneros de fungos nas sementes: Fusarium, Trichoderma, Botryodiplodia, Aspergillus, Penicillium, Rhizopus, Cladosporium, Alternaria e Plenodomus. Foi observada maior ocorrência de fungos nas sementes dos estados de Goiás e de São Paulo. Apenas os gêneros Fusarium sp. e Botryodiplodia sp. foram patogênicos às mudas de teca. Houve baixa transmissibilidade semente-plântula, sendo que apenas os gêneros fitopatogênicos Fusarium sp. e Alternaria sp. foram transmitidos. No capítulo II, foi realizado o estudo epidemiológico da ferrugem da teca com a análise da dinâmica temporal da doença em árvores adultas, correlacionando o comportamento da doença com as variáveis climáticas, para entender o comportamento da epidemia e, consequentemente, estabelecer alternativas para o adequado manejo. A doença foi monitorada a cada sete dias em plantas adultas escolhidas aleatoriamente para a avaliação da incidência e severidade, sendo esta quantificada com auxílio de uma escala de notas. Com esses dados obtiveram-se as curvas de progresso da doença ajustando aos modelos matemáticos monomolecular, logístico e de Gompertz. Foi calculada a área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) para incidência e severidade. Os dados de incidência e severidade foram correlacionados com as variáveis climáticas, precipitação, temperatura e umidade relativa média. Verificou-se a incidência da ferrugem logo nas primeiras avaliações, aumentando exponencialmente até o período de 98 dias da avaliação. Maior índice de severidade da doença foi detectado aos 147 dias, com severidade igual ou superior a 75%. Observou-se maior AACPD para a incidência. Houve correlação negativa e significativa entre a severidade com a temperatura mínima. Infere-se, com este resultado, uma tendência de aumento da severidade da ferrugem da teca com a diminuição da temperatura nas condições avaliadas. O modelo de Gompertz foi o que melhor se ajustou aos dados de severidade da ferrugem da teca.
Abstract: Teak (Tectona grandis L.f.) is an arboreal species widely used in reforestation areas and is the third species among the most planted tropical hardwoods in the world. Throughout their vegetative cycle, teak can be affected by a large number of diseases having in fungi the main phytopathogenic agents. Among the diseases that occur in culture, rust caused by Olivea neotectonae T.S. Ramakr. & K. Ramakr (=Chaconia tectonae T.S. & K. Ramark), stands out as the most important. The production of teak seedlings is mainly through seeds, which is an important vehicle for transmission of various pathogens. Due to the scarcity of information related to health of teak seeds used in Brazil for its cultivation, the aim of chapter I was to identify and quantify the fungi associated with teak seeds, the pathogenicity of these microorganisms to seedlings and seed-seedling transmissibility. For sanity test were utilized seeds acquired in TO, GO and SP states, the treatments were disinfested seeds and without disinfestation and seeds with and without mesocarp. We conducted the test using a filter paper method (Blotter test). To pathogenicity test in seedlings, we utilized the isolates of Fusarium sp., Botryodiplodia sp., Alternaria sp. and Plenodomus sp. To evaluate the fungal seedling-transmission were used 100 seeds of each location. Overall, it was possible to identify the following genera of fungi in seeds: Fusarium, Trichoderma, Botryodiplodia, Aspergillus, Penicillium, Rhizopus, Cladosporium, Alternaria and Plenodomus. There was a higher occurrence of fungi in the seeds of Goiás and São Paulo states. Only the Fusarium sp. and Botryodiplodia sp. were pathogenic to teak seedlings. There was low seed-seedling transmissibility, and only the pathogenic genera Fusarium sp. and Alternaria sp. were transmitted. In chapter II, was performed an epidemiological study of teak rust with the analysis of the temporal dynamics of disease in adult trees, correlating the disease behavior of climate variables, to understand the epidemic's behavior and thus establish alternatives to appropriate management. The disease was monitored every seven days at ten plants randomly chosen to evaluate the incidence and severity, this being quantified with assistance of a grade scale. With these data were obtained the disease progress curves by adjusting the mathematical models monomolecular, logistic and Gompertz. The area under the disease progress curve (AACPD) was calculated for incidence and severity. The incidence and severity data was correlated with the climatic variables, precipitation, temperature and medium relative humidity. The rust incidence was verified from the earliest evaluations, exponentially increasing until 98 days of evaluation. Higher index of severity was detected with 147 days, with a severity greater or equal to 75%. A higher AACPD was observed for the incidence. There was a negative and significant correlation between the severity with the minimum temperature. It is inferred, with this result, a tendency of increasing of severity of teak rust with the decreasing of temperature in the evaluated conditions. The Gompertz model was the best adjusted to the data severity of the teak rust.
URI: http://hdl.handle.net/11612/392
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Nathana Izabela Silva Sales - Dissertação.pdf1.68 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.