Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/2620
Authors: Brito, Fabiane Camargo Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor: Santos, Rosemeire dos
Title: Entre conquistas e desafios: o trabalho do Serviço Social nos hospitais públicos do Tocantins
Keywords: Contrarreforma; Estado; Serviço social; Política de saúde e trabalho.
Issue Date: 12-Apr-2021
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
Citation: BRITO, Fabiane Camargo Rodrigues. Entre conquistas e desafios: o trabalho do Serviço Social nos hospitais públicos do Tocantins. 2019. 146 f. Monografia (Especialização) - Curso de Serviço Social e Política Social, Campus Universitário de Miracema, UFT, 2019.
metadata.dc.description.resumo: Com a contrarreforma em curso desde a década de 1990, as políticas sociais são alvos da precarização e do sucateamento na sociedade neoliberal, tornando políticas pobres para pobres. A doutrina, em voga nas últimas décadas do século XX limitou a atuação do Estado, o que resulta no oferecimento dos mínimos sociais, quando na verdade deveria proporcionar condições básicas para a sobrevivência e manutenção da vida e não da precariedade. Em tempos de crise do capital os ajustes fiscais são as soluções dadas para todo o colapso social em vigor, que causam o sucateamento das políticas sociais com o desfinanciamento e a desconstrução acelerada de direitos sociais e trabalhistas, que significa perdas enormes e desastrosas para a classe trabalhadora. E os/as assistentes sociais como trabalhadores assalariados, que tem no Estado o seu maior empregador, vivenciam cotidianamente toda essa precarização do trabalho, tanto com relação a falta de recursos materiais quanto com relação a perdas salariais, bem como a não efetivação da lei que garante a jornada de trabalho de 30 (trinta) horas semanais. O objetivo geral da pesquisa foi analisar o trabalho dos/das assistentes sociais dos hospitais de Miracema, Paraíso, Guaraí e Pedro Afonso no ano de 2017. A metodologia adotada fundamentou-se numa avaliação qualitativa-quantitativa, ou seja, realizou-se a tabulação e análise dos dados obtidos, a partir da aplicação de questionários. Os resultados obtidos reafirmaram que o perfil dos/das assistentes sociais condiz com a historicidade da profissão, ou seja, a grande maioria desses/dessas profissionais são mulheres, que por sua vez, tem acúmulo de funções na sociedade, que até em tempos atuais, ainda se molda pelos traços patriarcais e machistas. Demonstraram que os/as assistentes sociais precisam se posicionar em defesa de sua profissão e de suas atribuições, opondo-se a realizar atividades meramente burocráticas e não privativas que desqualificam e descaracterizam a profissão. E ainda, precisam lutar pelo reconhecimento e respeito a sua autonomia profissional em seus espaços sócio ocupacionais. Para isso, torna-se imprescindível que todos/todas os/as profissionais não só conheçam suas atribuições e/ou competências profissionais, mas que se coloquem sempre em defesa da profissão e se recusem a qualquer forma de imposição que seja contrária ao que estabelece a lei de regulamentação, código de ética dos assistentes sociais, do projeto ético político e parâmetros para atuação dos assistentes sociais na saúde, ou seja, qualquer atividade e/ou ação que descaracterize a profissão e consequentemente o/a profissional e afaste esse/essa de seus/suas usuários/as e de seus objetivos enquanto profissionais. Além, da necessidade de união da categoria em prol da defesa de sua profissão, atribuições e condições de trabalho, faz-se imperioso que também se engajem na luta geral dos trabalhadores em defesa dos direitos sociais, civis e trabalhistas, e ainda, da ampliação e abrangência das políticas sociais, com aumento do financiamento para que atende de fato às necessidades da classe trabalhadora, direitos esses que nos últimos anos vem sendo cruelmente e duramente atacados.
Abstract: With the counter-reform underway since the 1990s, social policies are targets of precariousness and scrap in neoliberal society, making policies poor for the poor. The doctrine, in vogue in the last decades of the 20th century, limited the State's action, which results in the provision of social minimums, when in fact it should provide basic conditions for the survival and maintenance of life and not precariousness. In times of capital crisis, fiscal adjustments are the solutions given to all the social collapse in force, which cause the scrapping of social policies with the de-financing and the accelerated deconstruction of social and labor rights, which means huge and disastrous losses for the working class. And social workers as salaried workers, who have the largest employer in the State, experience all this precarious work on a daily basis, both in relation to the lack of material resources and in relation to wage losses, as well as the non-implementation of the law that guarantees a working day of 30 (thirty) hours per week. The general objective of the research was to analyze the work of social workers in the hospitals of Miracema, Paraíso, Guaraí and Pedro Afonso in 2017. The methodology adopted was based on a qualitative-quantitative assessment, that is, tabulation was performed and analysis of the data obtained, using questionnaires. The results obtained reaffirmed that the profile of / of social workers is consistent with the historicity of the profession, that is, the vast majority of these / these professionals are women, who, in turn, have an accumulation of functions in society, which, even today, it is still shaped by patriarchal and sexist traits. They demonstrated that social workers need to take a stand in defense of their profession and their duties, opposing to perform merely bureaucratic and non-private activities that disqualify and mischaracterize the profession. And yet, they need to fight for recognition and respect for their professional autonomy in their socio-occupational spaces. For that, it becomes essential that all / all / the professionals not only know their attributions and / or professional competences, but that they always put themselves in defense of the profession and refuse any form of imposition that is contrary to what establishes the regulation law, code of ethics for social workers, the political ethical project and parameters for the performance of social workers in health, that is, any activity and / or action that de characterizes the profession and, consequently, the professional and keeps him / her away from their users and their goals as professionals. In addition to the need to unite the category for the defense of their profession, duties and working conditions, it is imperative that they also engage in the general struggle of workers in defense of social, civil and labor rights, as well as the expansion and scope of social policies, with increased funding so that it actually meets the needs of the working class, rights that in recent years have been cruelly and severely attacked.
URI: http://hdl.handle.net/11612/2620
Appears in Collections:Especialização em Serviço Social e Política Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Fabiane Camargo Rodrigues Brito - Monografia.pdf1.89 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.