Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11612/101
Author: Freitas, Kleryson Saraiva
Advisor: Silva, Alex Pizzio da
Title: Prazer e sofrimento no trabalho: um estudo com os servidores técnicos administrativos do IFTO – Campus Palmas
Keywords: Psicodinâmida do trabalho;Técnicos administrativos;Saúde;Sofrimento e trabalho
Issue Date: 21-Nov-2015
Publisher: Universidade Federal do Tocantins
Program: Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas - Gespol
Citation: FREITAS, Kleryson Saraiva. Prazer e sofrimento no trabalho: um estudo com os servidores técnicos administrativos do IFTO –Campus Palmas.2015. 94f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas, Palmas, 2015.
Resumo: Para a Psicodinâmica do Trabalho, o sofrimento é inerente ao processo laboral, os sentimentos de prazer e sofrimento são gerados a partir das formas de organização do trabalho e do modo como os trabalhadores enfrentam as situações positivas e negativas decorrentes do contexto de trabalho por meio das estratégias defensivas. Este estudo teve como objetivo identificar possíveis fatores que proporcionem prazer e quais resultam em riscos de sofrimento patogênico aos servidores, bem como descrever as estratégiasdefensivas utilizadas para mediar o sofrimento no seu cotidiano laboralà luz da Teoria da Psicodinâmica do Trabalho. O público-alvo da pesquisa foi composto por servidores técnicos administrativos concursados e lotados no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins CampusPalmas. Utilizou-se, como instrumento de coleta de dados, um questionário para levantamento dos dados sociodemográficos, além da Escala da Organização Prescrita do Trabalho-EOPT,responsável por investigar as características da organização prescrita do trabalho, e a Escala do Sofrimento Patogênico no Trabalho-ESPT –quepossibilitou levantar os riscos de sofrimento patogênico –, ambas componentes do Protocolo de Avaliação dos Riscos Psicossociais no Trabalho-PROART. Epara captar possíveis estratégias defensivas foi aplicado análise de conteúdo nas respostas das perguntas abertas.Para a EOPT, os resultados apontaram para um risco psicossocial de nível médio e demonstraram que o fator divisão das tarefas é mais preocupante e causa maior insatisfação nos servidores pesquisados que o fator divisão social do trabalho e esse risco revela um alerta para uma situação limite que demanda a curto e médio prazo a necessidade de intervenção por parte da Instituição, no sentido de potencializar e incrementar os indicadores positivos e minimizar os efeitos dos indicadores negativos. Para a ESPT, o risco global apresentado foi considerado positivo, representando baixo risco psicossocial para a ocorrência de sofrimento patogênico, com predominância das vivências de prazer. Os fatores falta de sentido e falta de reconhecimento no trabalho apresentaram riscos psicossociais de nível baixo revelando, assim, a necessidade da manutenção, consolidação e potencialização dos aspectos positivos; por outro lado, o Esgotamento Mental revelou resultados que indicam um risco médio para a ocorrência de sofrimento patogênico. O cruzamento entre os grupos sociodemográficos com os resultados das escalas apontaram diferenças significativas nas variáveis, estado civil, escolaridade, idade e tempo no cargo. O estudo apontou para o uso de defesas protetoras e adaptativas, caracterizadas com posturas de indiferença, acomodação, compensação, isolamento e diálogo frente às adversidades. Assim, conclui-se que o contexto de trabalho proporciona sentimentos de prazer, mas também indica a presença de sofrimento, nesse caso, os servidores lançam mão de estratégias defensivas para suavizar a realidade sofrente. Por fim, propõem-se algumas sugestões visando a promoção da qualidade de vida do público pesquisado.
Abstract: For the psychodynamics of work, suffering is inherent in the work process, the feelings of pleasure and pain generated from the forms of organization of work and the way in which workers face positive and negative situations resulting from the work context through defensive strategies. This study aimed to identify possible factors that provide pleasure and which result in risks of pathogenic suffering to servers, as well as to describe the defensive strategies used to mediate suffering in their daily work according to the Theory of Work Psychodynamics. The target audience of the research was composed of administrative technician servers gazetted and crowded at the Federal Institute of Education, Science and Technology Campus Palmas Tocantins. It was used as a data collection tool a questionnaire survey of demographic data, besides a Scale from the Prescribed Organization of Labor (EOPT), responsible for investigating the characteristic of the prescribed organization work and the scale of Pathogenic Suffering on Job (ESPT), which allowed to identify the risk of pathogenic suffering -both components of the Protocol Assessment of Psychosocial Risks at Work (PROART). In addition to capture possible defensive strategies was applied content analysis on the answers of the open questions. For the EOPT, the results point to a psychosocial risk of mid-level and they showed that the division of labor factor is more troubling and causes most dissatisfaction in the researched servers than the social division factor of work and this risk reveals an alert to an extreme situation that demands and needs, in the short and medium term, the intervention by the institution to enhance and increase the positive indicators and minimize the effects of negative indicators. For ESPT, the risk presented was overall considered positive, representing low psychosocial risk for the occurrence of pathogenic suffering, with a predominance the experiences of pleasure. Factors of meaninglessness and lack of recognition at work showed low-level psychosocial risks revealing thus the need for maintenance, consolidation and enhancement of the positive aspects. On the other hand, the Mental Exhaustion has disclosed results that indicate a medium risk to the occurrence of pathogenic suffering. The crossing between socio-demographic groups with the results of the scales showed significant differences in the variables marital status, education, age and time in office. The study pointed to the use of protective and adaptive defenses, characterized with postures of indifferently, accommodation, compensation, isolation and dialogue front to adversity. Thus, we conclude that the working environment provides feelings of pleasure, but also indicates the presence of suffering. In this case, the servers use defensive strategies to soften the suffering reality. Finally, we propose some suggestions aimed at promoting the quality of life of the studied public.
URI: http://hdl.handle.net/11612/101
Appears in Collections:Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Kleryson Saraiva Freitas - Dissertação.pdf2.38 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.